Como consultar meu inss

Sou seu Assistente virtual. Escolha a seguir uma das opções:

O que é Divórcio Judicial?

O divórcio judicial será realizado quando existir filhos menores de idade ou se o casal estiver em constante conflito (litigioso). Ressalta-se que não será de comum acordo quando um dos cônjuges não concordar com algum dos termos do divórcio, seja a divisão dos bens, fixação da guarda entre outros detalhes.

Valores

O divórcio judicial será realizado quando existir filhos menores de idade ou se o casal estiver em constante conflito (litigioso). Ressalta-se que não será de comum acordo quando um dos cônjuges não concordar com algum dos termos do divórcio, seja a divisão dos bens, fixação da guarda entre outros detalhes.

Requisitos do Divórcio Judicial?

O divórcio judicial será realizado quando existir filhos menores de idade ou se o casal estiver em constante conflito (litigioso). Ressalta-se que não será de comum acordo quando um dos cônjuges não concordar com algum dos termos do divórcio, seja a divisão dos bens, fixação da guarda entre outros detalhes.

O divórcio judicial será realizado quando existir filhos menores de idade ou se o casal estiver em constante conflito (litigioso). Ressalta-se que não será de comum acordo quando um dos cônjuges não concordar com algum dos termos do divórcio, seja a divisão dos bens, fixação da guarda entre outros detalhes.

 

O que é ?

O divórcio judicial será realizado quando existir filhos menores de idade ou se o casal estiver em constante conflito (litigioso). Ressalta-se que não será de comum acordo quando um dos cônjuges não concordar com algum dos termos do divórcio, seja a divisão dos bens, fixação da guarda entre outros detalhes.

 

Quanto custa?

O divórcio judicial será realizado quando existir filhos menores de idade ou se o casal estiver em constante conflito (litigioso). Ressalta-se que não será de comum acordo quando um dos cônjuges não concordar com algum dos termos do divórcio, seja a divisão dos bens, fixação da guarda entre outros detalhes.

 

Requisitos ?

O divórcio judicial será realizado quando existir filhos menores de idade ou se o casal estiver em constante conflito (litigioso). Ressalta-se que não será de comum acordo quando um dos cônjuges não concordar com algum dos termos do divórcio, seja a divisão dos bens, fixação da guarda entre outros detalhes.

 

Perguntas e respostas

Digite aqui sua busca:

Quais os tipos de dissolução do casamento?

No Brasil, a não ser pela morte, o divórcio é a única forma jurídica de dissolver o casamento válido.

fonte:https://www.jurisway.org.br/v2/pergunta.asp?pagina=1&idarea=20&idmodelo=19880

Estou separado judicialmente da minha ex-mulher há três anos, mas, atualmente voltamos a nos encontrar e resolvemos casar de novamente. O que devemos fazer?

Na verdade, vocês ainda estão casados, portanto, não há possibilidade de realizar um novo casamento entre vocês. Para casos assim, a lei dispõe que se os ex-conjuges, resolvem viver novamente juntos como na constância do casamento e desejam ter esta (re)união reconhecida legalmente, devem ajuizar Ação de Restabelecimento do Vínculo da Sociedade Conjugal, na qual, cada consorte manifestará sua vontade perante o juízo da vara em que se processou a separação judicial. Deferido o pedido, deve-se averbar a sentença que restabelece a sociedade conjugal no cartório de registro civil onde estiver o assento da separação.

fonte:https://www.jurisway.org.br/v2/pergunta.asp?pagina=1&id_area=20&idmodelo=8160

 

Quem está separado judicialmente e volta a viver com a ex-mulher vive em concubinato?

Não! A pessoa que é separada judicialmente e resolve em comum acordo com o ex-cônjuge a viver juntos com o affectio maritalis, ou seja,como se casados fossem, na verdade vivem em união estável, e não em concubinato. Dispõe o novo Código Civil de 2002, em seu art. 1.727 que concubinato é união com intenção de constituir família daqueles que são impedidos de casar. Entretanto, os separados judicialmente apesar de serem impedidos de casar, se valem do § 1º do art. 1.723 do CC/02, que autoriza o separado a constituir união estável.

fonte:https://www.jurisway.org.br/v2/pergunta.asp?pagina=1&id_area=20&idmodelo=8159

Quem está separado judicialmente e volta a viver com a ex-mulher vive em concubinato?

Não! A pessoa que é separada judicialmente e resolve em comum acordo com o ex-cônjuge a viver juntos com o affectio maritalis, ou seja,como se casados fossem, na verdade vivem em união estável, e não em concubinato. Dispõe o novo Código Civil de 2002, em seu art. 1.727 que concubinato é união com intenção de constituir família daqueles que são impedidos de casar. Entretanto, os separados judicialmente apesar de serem impedidos de casar, se valem do § 1º do art. 1.723 do CC/02, que autoriza o separado a constituir união estável.

fonte:https://www.jurisway.org.br/v2/pergunta.asp?pagina=1&id_area=20&idmodelo=8159

Quem está separado judicialmente e volta a viver com a ex-mulher vive em concubinato?

Não! A pessoa que é separada judicialmente e resolve em comum acordo com o ex-cônjuge a viver juntos com o affectio maritalis, ou seja,como se casados fossem, na verdade vivem em união estável, e não em concubinato. Dispõe o novo Código Civil de 2002, em seu art. 1.727 que concubinato é união com intenção de constituir família daqueles que são impedidos de casar. Entretanto, os separados judicialmente apesar de serem impedidos de casar, se valem do § 1º do art. 1.723 do CC/02, que autoriza o separado a constituir união estável.

fonte:https://www.jurisway.org.br/v2/pergunta.asp?pagina=1&id_area=20&idmodelo=8159

Quem está separado judicialmente e volta a viver com a ex-mulher vive em concubinato?

Não! A pessoa que é separada judicialmente e resolve em comum acordo com o ex-cônjuge a viver juntos com o affectio maritalis, ou seja,como se casados fossem, na verdade vivem em união estável, e não em concubinato. Dispõe o novo Código Civil de 2002, em seu art. 1.727 que concubinato é união com intenção de constituir família daqueles que são impedidos de casar. Entretanto, os separados judicialmente apesar de serem impedidos de casar, se valem do § 1º do art. 1.723 do CC/02, que autoriza o separado a constituir união estável.

fonte:https://www.jurisway.org.br/v2/pergunta.asp?pagina=1&id_area=20&idmodelo=8159

Quem está separado judicialmente e volta a viver com a ex-mulher vive em concubinato?

Não! A pessoa que é separada judicialmente e resolve em comum acordo com o ex-cônjuge a viver juntos com o affectio maritalis, ou seja,como se casados fossem, na verdade vivem em união estável, e não em concubinato. Dispõe o novo Código Civil de 2002, em seu art. 1.727 que concubinato é união com intenção de constituir família daqueles que são impedidos de casar. Entretanto, os separados judicialmente apesar de serem impedidos de casar, se valem do § 1º do art. 1.723 do CC/02, que autoriza o separado a constituir união estável.

fonte:https://www.jurisway.org.br/v2/pergunta.asp?pagina=1&id_area=20&idmodelo=8159

Quem está separado judicialmente e volta a viver com a ex-mulher vive em concubinato?

Não! A pessoa que é separada judicialmente e resolve em comum acordo com o ex-cônjuge a viver juntos com o affectio maritalis, ou seja,como se casados fossem, na verdade vivem em união estável, e não em concubinato. Dispõe o novo Código Civil de 2002, em seu art. 1.727 que concubinato é união com intenção de constituir família daqueles que são impedidos de casar. Entretanto, os separados judicialmente apesar de serem impedidos de casar, se valem do § 1º do art. 1.723 do CC/02, que autoriza o separado a constituir união estável.

fonte:https://www.jurisway.org.br/v2/pergunta.asp?pagina=1&id_area=20&idmodelo=8159

Quem está separado judicialmente e volta a viver com a ex-mulher vive em concubinato?

Não! A pessoa que é separada judicialmente e resolve em comum acordo com o ex-cônjuge a viver juntos com o affectio maritalis, ou seja,como se casados fossem, na verdade vivem em união estável, e não em concubinato. Dispõe o novo Código Civil de 2002, em seu art. 1.727 que concubinato é união com intenção de constituir família daqueles que são impedidos de casar. Entretanto, os separados judicialmente apesar de serem impedidos de casar, se valem do § 1º do art. 1.723 do CC/02, que autoriza o separado a constituir união estável.

fonte:https://www.jurisway.org.br/v2/pergunta.asp?pagina=1&id_area=20&idmodelo=8159

Quem está separado judicialmente e volta a viver com a ex-mulher vive em concubinato?

Não! A pessoa que é separada judicialmente e resolve em comum acordo com o ex-cônjuge a viver juntos com o affectio maritalis, ou seja,como se casados fossem, na verdade vivem em união estável, e não em concubinato. Dispõe o novo Código Civil de 2002, em seu art. 1.727 que concubinato é união com intenção de constituir família daqueles que são impedidos de casar. Entretanto, os separados judicialmente apesar de serem impedidos de casar, se valem do § 1º do art. 1.723 do CC/02, que autoriza o separado a constituir união estável.

fonte:https://www.jurisway.org.br/v2/pergunta.asp?pagina=1&id_area=20&idmodelo=8159

Quem está separado judicialmente e volta a viver com a ex-mulher vive em concubinato?

Não! A pessoa que é separada judicialmente e resolve em comum acordo com o ex-cônjuge a viver juntos com o affectio maritalis, ou seja,como se casados fossem, na verdade vivem em união estável, e não em concubinato. Dispõe o novo Código Civil de 2002, em seu art. 1.727 que concubinato é união com intenção de constituir família daqueles que são impedidos de casar. Entretanto, os separados judicialmente apesar de serem impedidos de casar, se valem do § 1º do art. 1.723 do CC/02, que autoriza o separado a constituir união estável.

fonte:https://www.jurisway.org.br/v2/pergunta.asp?pagina=1&id_area=20&idmodelo=8159

Quem está separado judicialmente e volta a viver com a ex-mulher vive em concubinato?

Não! A pessoa que é separada judicialmente e resolve em comum acordo com o ex-cônjuge a viver juntos com o affectio maritalis, ou seja,como se casados fossem, na verdade vivem em união estável, e não em concubinato. Dispõe o novo Código Civil de 2002, em seu art. 1.727 que concubinato é união com intenção de constituir família daqueles que são impedidos de casar. Entretanto, os separados judicialmente apesar de serem impedidos de casar, se valem do § 1º do art. 1.723 do CC/02, que autoriza o separado a constituir união estável.

fonte:https://www.jurisway.org.br/v2/pergunta.asp?pagina=1&id_area=20&idmodelo=8159

Quem está separado judicialmente e volta a viver com a ex-mulher vive em concubinato?

Não! A pessoa que é separada judicialmente e resolve em comum acordo com o ex-cônjuge a viver juntos com o affectio maritalis, ou seja,como se casados fossem, na verdade vivem em união estável, e não em concubinato. Dispõe o novo Código Civil de 2002, em seu art. 1.727 que concubinato é união com intenção de constituir família daqueles que são impedidos de casar. Entretanto, os separados judicialmente apesar de serem impedidos de casar, se valem do § 1º do art. 1.723 do CC/02, que autoriza o separado a constituir união estável.

fonte:https://www.jurisway.org.br/v2/pergunta.asp?pagina=1&id_area=20&idmodelo=8159

Quem está separado judicialmente e volta a viver com a ex-mulher vive em concubinato?

Não! A pessoa que é separada judicialmente e resolve em comum acordo com o ex-cônjuge a viver juntos com o affectio maritalis, ou seja,como se casados fossem, na verdade vivem em união estável, e não em concubinato. Dispõe o novo Código Civil de 2002, em seu art. 1.727 que concubinato é união com intenção de constituir família daqueles que são impedidos de casar. Entretanto, os separados judicialmente apesar de serem impedidos de casar, se valem do § 1º do art. 1.723 do CC/02, que autoriza o separado a constituir união estável.

fonte:https://www.jurisway.org.br/v2/pergunta.asp?pagina=1&id_area=20&idmodelo=8159

Quem está separado judicialmente e volta a viver com a ex-mulher vive em concubinato?

Não! A pessoa que é separada judicialmente e resolve em comum acordo com o ex-cônjuge a viver juntos com o affectio maritalis, ou seja,como se casados fossem, na verdade vivem em união estável, e não em concubinato. Dispõe o novo Código Civil de 2002, em seu art. 1.727 que concubinato é união com intenção de constituir família daqueles que são impedidos de casar. Entretanto, os separados judicialmente apesar de serem impedidos de casar, se valem do § 1º do art. 1.723 do CC/02, que autoriza o separado a constituir união estável.

fonte:https://www.jurisway.org.br/v2/pergunta.asp?pagina=1&id_area=20&idmodelo=8159

Quem está separado judicialmente e volta a viver com a ex-mulher vive em concubinato?

Não! A pessoa que é separada judicialmente e resolve em comum acordo com o ex-cônjuge a viver juntos com o affectio maritalis, ou seja,como se casados fossem, na verdade vivem em união estável, e não em concubinato. Dispõe o novo Código Civil de 2002, em seu art. 1.727 que concubinato é união com intenção de constituir família daqueles que são impedidos de casar. Entretanto, os separados judicialmente apesar de serem impedidos de casar, se valem do § 1º do art. 1.723 do CC/02, que autoriza o separado a constituir união estável.

fonte:https://www.jurisway.org.br/v2/pergunta.asp?pagina=1&id_area=20&idmodelo=8159

Quem está separado judicialmente e volta a viver com a ex-mulher vive em concubinato?

Não! A pessoa que é separada judicialmente e resolve em comum acordo com o ex-cônjuge a viver juntos com o affectio maritalis, ou seja,como se casados fossem, na verdade vivem em união estável, e não em concubinato. Dispõe o novo Código Civil de 2002, em seu art. 1.727 que concubinato é união com intenção de constituir família daqueles que são impedidos de casar. Entretanto, os separados judicialmente apesar de serem impedidos de casar, se valem do § 1º do art. 1.723 do CC/02, que autoriza o separado a constituir união estável.

fonte:https://www.jurisway.org.br/v2/pergunta.asp?pagina=1&id_area=20&idmodelo=8159

Quem está separado judicialmente e volta a viver com a ex-mulher vive em concubinato?

Não! A pessoa que é separada judicialmente e resolve em comum acordo com o ex-cônjuge a viver juntos com o affectio maritalis, ou seja,como se casados fossem, na verdade vivem em união estável, e não em concubinato. Dispõe o novo Código Civil de 2002, em seu art. 1.727 que concubinato é união com intenção de constituir família daqueles que são impedidos de casar. Entretanto, os separados judicialmente apesar de serem impedidos de casar, se valem do § 1º do art. 1.723 do CC/02, que autoriza o separado a constituir união estável.

fonte:https://www.jurisway.org.br/v2/pergunta.asp?pagina=1&id_area=20&idmodelo=8159

Quem está separado judicialmente e volta a viver com a ex-mulher vive em concubinato?

Não! A pessoa que é separada judicialmente e resolve em comum acordo com o ex-cônjuge a viver juntos com o affectio maritalis, ou seja,como se casados fossem, na verdade vivem em união estável, e não em concubinato. Dispõe o novo Código Civil de 2002, em seu art. 1.727 que concubinato é união com intenção de constituir família daqueles que são impedidos de casar. Entretanto, os separados judicialmente apesar de serem impedidos de casar, se valem do § 1º do art. 1.723 do CC/02, que autoriza o separado a constituir união estável.

fonte:https://www.jurisway.org.br/v2/pergunta.asp?pagina=1&id_area=20&idmodelo=8159

Quem está separado judicialmente e volta a viver com a ex-mulher vive em concubinato?

Não! A pessoa que é separada judicialmente e resolve em comum acordo com o ex-cônjuge a viver juntos com o affectio maritalis, ou seja,como se casados fossem, na verdade vivem em união estável, e não em concubinato. Dispõe o novo Código Civil de 2002, em seu art. 1.727 que concubinato é união com intenção de constituir família daqueles que são impedidos de casar. Entretanto, os separados judicialmente apesar de serem impedidos de casar, se valem do § 1º do art. 1.723 do CC/02, que autoriza o separado a constituir união estável.

fonte:https://www.jurisway.org.br/v2/pergunta.asp?pagina=1&id_area=20&idmodelo=8159

Quem está separado judicialmente e volta a viver com a ex-mulher vive em concubinato?

Não! A pessoa que é separada judicialmente e resolve em comum acordo com o ex-cônjuge a viver juntos com o affectio maritalis, ou seja,como se casados fossem, na verdade vivem em união estável, e não em concubinato. Dispõe o novo Código Civil de 2002, em seu art. 1.727 que concubinato é união com intenção de constituir família daqueles que são impedidos de casar. Entretanto, os separados judicialmente apesar de serem impedidos de casar, se valem do § 1º do art. 1.723 do CC/02, que autoriza o separado a constituir união estável.

fonte:https://www.jurisway.org.br/v2/pergunta.asp?pagina=1&id_area=20&idmodelo=8159

Quem está separado judicialmente e volta a viver com a ex-mulher vive em concubinato?

Não! A pessoa que é separada judicialmente e resolve em comum acordo com o ex-cônjuge a viver juntos com o affectio maritalis, ou seja,como se casados fossem, na verdade vivem em união estável, e não em concubinato. Dispõe o novo Código Civil de 2002, em seu art. 1.727 que concubinato é união com intenção de constituir família daqueles que são impedidos de casar. Entretanto, os separados judicialmente apesar de serem impedidos de casar, se valem do § 1º do art. 1.723 do CC/02, que autoriza o separado a constituir união estável.

fonte:https://www.jurisway.org.br/v2/pergunta.asp?pagina=1&id_area=20&idmodelo=8159

Quem está separado judicialmente e volta a viver com a ex-mulher vive em concubinato?

Não! A pessoa que é separada judicialmente e resolve em comum acordo com o ex-cônjuge a viver juntos com o affectio maritalis, ou seja,como se casados fossem, na verdade vivem em união estável, e não em concubinato. Dispõe o novo Código Civil de 2002, em seu art. 1.727 que concubinato é união com intenção de constituir família daqueles que são impedidos de casar. Entretanto, os separados judicialmente apesar de serem impedidos de casar, se valem do § 1º do art. 1.723 do CC/02, que autoriza o separado a constituir união estável.

fonte:https://www.jurisway.org.br/v2/pergunta.asp?pagina=1&id_area=20&idmodelo=8159

Quem está separado judicialmente e volta a viver com a ex-mulher vive em concubinato?

Não! A pessoa que é separada judicialmente e resolve em comum acordo com o ex-cônjuge a viver juntos com o affectio maritalis, ou seja,como se casados fossem, na verdade vivem em união estável, e não em concubinato. Dispõe o novo Código Civil de 2002, em seu art. 1.727 que concubinato é união com intenção de constituir família daqueles que são impedidos de casar. Entretanto, os separados judicialmente apesar de serem impedidos de casar, se valem do § 1º do art. 1.723 do CC/02, que autoriza o separado a constituir união estável.

fonte:https://www.jurisway.org.br/v2/pergunta.asp?pagina=1&id_area=20&idmodelo=8159

Quem está separado judicialmente e volta a viver com a ex-mulher vive em concubinato?

Não! A pessoa que é separada judicialmente e resolve em comum acordo com o ex-cônjuge a viver juntos com o affectio maritalis, ou seja,como se casados fossem, na verdade vivem em união estável, e não em concubinato. Dispõe o novo Código Civil de 2002, em seu art. 1.727 que concubinato é união com intenção de constituir família daqueles que são impedidos de casar. Entretanto, os separados judicialmente apesar de serem impedidos de casar, se valem do § 1º do art. 1.723 do CC/02, que autoriza o separado a constituir união estável.

fonte:https://www.jurisway.org.br/v2/pergunta.asp?pagina=1&id_area=20&idmodelo=8159

Advogados para o seu Divórcio

Rua da Bahia 905, salas 905/906 - Centro Belo Horizonte

Tel.: (31) 2555-8280 Whatsapp: (31) 2555-8280

Email: jeanpierreadvg@gmail.com             
© 2019 - Direitos reservados.